Caos Brasileiro

Caos Brasileiro

Os políticos geralmente acham que tudo se resolve com jeitinho, e que, com o tempo, os problemas se solucionam por si mesmo.

Ronald Reagan era ator; não era político. Enfrentou a greve de 8.000 controladores de vôo no Estados Unidos demitindo todos e colocandocontroladores militares para operar o sistema. Os controladores tentaram negociar, voltando atrás da greve, mas Reagan não aceitou conversa.

Margareth Thatcher enfrentou, sem concessões, a greve dos mineiros de carvão que praticamente paralisou o país; foi a responsável por reverter o Reino Unido de um país no caminho do subdesenvolvimento a um na rota de crescimento.

Sem querer me comparar com esses grandes nomes, mas para trazer um exemplo brasileiro, gostaria de relatar um episódio que ocorreu na CSN, em 1990. Quando presidente desta empresa, enfrentei uma greve da CUT. As greves na CSN ocorriam na média de duas por ano, e era mais barato ceder âs reivindicações grevistas do que interromper a produção e parar os fornos, operação de alto risco. Recusei-me a negociar e parei  de pagar salários. Foi a maior greve que a CSN enfrentou, mas também a última.

Se o Governador do Espirito Santo seguisse o exemplo de Reagan, demitisse todos os PMs, e deixasse a segurança com os militares até que novos PMs fossem recontratados, ele daria uma lição ao Brasil e seria um forte candidato â presidência em 2018.

Situações críticas exigem coragem.

O que você acha? Se tem alguma observação ou sugestão, favor enviar sua contribuição.

Agradeço sua participação.

Roberto Lima Netto, Ph.D., Economic Systems Planning, Stanford University.

As Prisões Brasileiras e as Drogas

As Prisões Brasileiras e as Drogas

As prisões brasileiras estão dominadas por organizações criminosas, ligadas principalmente ao tráfico de drogas. O Estado não tem competência para reverter essa situação, e os chefes das organizações criminosas dirigem, de dentro das cadeias, o crime organizado.

A comunicação com o exterior é feita por telefone e por mensagens enviadas por familiares e advogados e, por mais que se usem bloqueadores de celulares e revistas periódicas, essa situação não mudará. Continue lendo

Brasil, País do futuro?

Brasil, País do Futuro?

A democracia carrega um vírus que a destrói? Um artigo de 1887, escrito por Alexander Tyler afirma que sim.

O império chinês se sustentou por quarto milénios; o egípcio por três. O romano somente durou 500 anos.

No mundo moderno, o conceito de império não é mais territorial, mas econômico. O império britânico durou uns duzentos anos. E o Americano? Quanto tempo mais? Continue lendo

Brasil, Pátria Educadora?

Brasil – Pátria Educadora

Os quatro maiores problemas do Brasil são:

  • Justiça . se é lenta, não é justa;
  • Segurança – existe?
  • Saúde – finge que o SUS funciona;
  • Educação – a base de tudo.

Vamos falar de educação, especificamente das escolas superiores. Há uma década atrás, as universidades públicas eram as melhores do País. Não mais. Continue lendo

Temer – Pedras no Caminho

Temer – Pedras no caminho

O governo Temer tem dois importantes obstáculos que devem ser vencidos para que o Brasil possa voltar ao caminho virtuoso do crescimento e da geração de empregos. Não incluo aqui o impeachment, pois isso parece bem encaminhado, salvo imprevistas bombas que possam aparecer no caminho. Falo da reforma da previdência e do limite de gastos federais, estaduais e municipais. Continue lendo

Ética Política

Ética Política

A ética política, que vinha passando por mudanças graduais, lentas e nem sempre positivas, vai mudar drasticamente com a Lavajato.

No passado, já tivemos um episódio de assassinato no Senado. O Senador Arnon de Mello, pai do Collor, atirou, dentro do recinto do Senado, em outro senador, e atingiu mortalmente um que nada tinha com a briga. Foi punido? Foi preso? Nada disso aconteceu. Eram tempos de vale-tudo não admissíveis hoje. Continue lendo

Governo Temer Perdido

Governo Temer Perdido

O Temer começou seu governo com uma rejeição de 62%. Eu estava do outro lado, achando que ele poderia fazer um bom trabalho, pois o documento do PMDB – Ponte para o Futuro – era encorajador. Temer começou acertando na Economia, mas abrindo as porteiras do governo para o fisiologismo do Congresso. Deu no que era esperado. Já foi obrigado a trocar dois ministros. Continue lendo